Bienal de Curitiba

Bienal de Curitiba Follow

Evento internacional de Arte Contemporânea • Ano 25
Internacional event of Contemporary Art • Year 25
Curitiba, Brasil.

http://www.bienaldecuritiba.com.br/

11,356 Followers  4,293 Follow

Share Share Share

Bienal de Curitiba 2017 • Memorial de Curitiba • Curadoria: Royce W. Smith e Dannys Montes de Oca •
•
•

volt(a) #2, 2015. Instalação com neon (3 partes). Neon amarelo. 108x45cm.
•
Alerta,2016. Instalação com neon (1 parte). Neon vermelho. 45x45cm. •
• Ale Mazzarolo @ale_mazzarolo •
• • [PT]
As obras de Ale Mazzarolo transformam paredes de galeria em ambientes imersivos caracterizados pela interação de abstração, linha, luz e cor. Confiando em um meio que se tornou muito menos comum na era da iluminação LeD, as obras de Mazzarolo ativam “espaços mortos” nas galerias do Memorial que de outra forma permaneceriam vazias e subutilizadas durante a exposição. •
•
• • [ENG]
Ale Mazzarolo’s works transform gallery walls into immersive environments characterized by the interplay of abstraction, line, light and color. relying on a medium that has become far less common in the age of LeD lighting, Mazzarolo’s works activate “dead spaces” in the Memorial Museum’s galleries that otherwise would have remained empty and underutilized during the exhibition.
Bienal de Curitiba 2017 • Memorial de Curitiba • Curadoria: Royce W. Smith e Dannys Montes de Oca
•
•
•
“Art world celebrities”, 2016-2017. instalação sonora, 6’. Pintura sobre papel. 10 m².
Bill Burns
•
•
• [PT] As explorações conceituais de Bill Burns muitas vezes criticam o estabelecimento do mundo da arte e especulam sobre sua relevância e impacto. Contemplando a obsessão com festivais e bienais, Burns “comemora” várias tradições de exibição e curadores de primeira linha, colocando-os em bandeiras geralmente usadas para festejar equipes esportivas - um lembrete de que o culto à celebridade do modernismo continua predominante nas artes.
•
•
• [ENG] The conceptual explorations of Bill Burns often critique the art world’s establishment and speculate on its relevance and impact. Contemplating the obsession with festivals and biennales,Burns “celebrates” several exhibition traditions and “A-list” curators by placing them on pennants usually used to fete sports teams—a reminder that modernism’s celebrity cult(ures) remain prevalent in the arts.
Saiu o resultado do sorteio em homenagem ao dia do artista plástico. 💛 A sorteada foi a @ninaturmina - que ganhou um kit da Bienal, com bolsa, catálogo e lápis da edição de 2017! Parabéns, Nina! Entre em contato conosco por direct para agendar a retirada! •
•
•
Gostou do nosso sorteio? Fique de olho em nossa página, que em breve, tem mais!
•
•
•
#bienaldecuritiba #bienal #arte #catalog #catalogo #livrodearte #artbook #biennial #biennale #publicacao #livro
8 de maio: Dia do Artista Plástico, no Brasil.
A Bienal de Curitiba parabeniza todos e todas que contribuem para a o fomento da cultura em nosso país! •
•
E para comemorar, a Bienal vai sortear um kit da Bienal '17 aqui (catálogo, bolsa e lápis).
Para participar, é fácil: é só seguir a Bienal aqui no Instagram, curtir *este* post, marcar um amigo ou amiga nos comentários e pronto: você já está participando. Marque quantos amigos quiser, para aumentar as suas chances. •
•
O sorteio será realizado sexta-feira, dia 11 de maio de 2018, às 16h. O vencedor ou vencedora deverá retirar seu kit em local a ser informado por nossa equipe, no centro de Curitiba - PR.
Você sabia que a exposição “Não está claro até que a noite caia”, da artista Juliana Stein, ainda está em cartaz no Museu Oscar Niemeyer?
•
•
• A exposição vai até o dia 3 de junho de 2018 e integra a programação da Bienal de Curitiba 2017.
•
•
•
Que tal aproveitar que hoje o @museuoscarniemeyer tem horário estendido e entrada gratuita a partir das 18h e dar uma conferida? •
•
•
#museuoscarniemeyer #bienal #julianastein #arte #art #contemporaryart #minimalist #bienaldecuritiba #biennial #artbiennial #biennale
Bienal de Curitiba 2017 • Museu Oscar Niemeyer • Exposição "Além da Fotografia" • Curadoria: Tício Escobar
•
•
• “The time project”, 2017. instalação. Mídias variáveis. Dimensões variáveis. Cortesia: Galeria Alexander Gray Associates. Luis Camnitzer
•
•
• [PT] Camnitzer teve uma longa carreira como artista, crítico, educador e teórico. ele começou a trabalhar em paralelo com os Conceitualistas americanos dos anos 60 e 70, e em 1964 fundou o New York Graphic Workshop (1964-1970) com os artistas Liliana Porter e José Guillermo Castillo. Em 1971, ajudou a estabelecer o Museu Latinoamericano de Nova York e um grupo dissidente, o Movimento de independência Cultural de América Latina (MiCLA). Seu livro Conceitualismo na Arte Latino Americana é amplamente considerado um dos textos mais influentes sobre o assunto.
•
•
• [ENG] Camnitzer has had a long career as an artist, critic, educator, and theorist. He began working in parallel with the American Conceptualists of the 1960s and ’70s, and in 1964 founded the New York Graphic Workshop (1964–70) with artists Liliana Porter and José Guillermo Castillo. in 1971, he helped establish New York’s Museo Latinoamericano, and a splinter group, Movimiento de independencia Cultural de Latino América (MiCLA). His 2007 book Conceptualism in Latin American Art is widely considered one of the most influential texts on the subject.
Confirmada a realização da Bienal Internacional de Curitiba 2018 | 25 anos! •
•
•
De 18 de outubro a 31 de dezembro de 2018, Curitiba vai receber a edição comemorativa aos 25 anos de Bienal. Fique de olho aqui no Instagram e em nossa página no Facebook para ficar por dentro das novidades! •
•
#bienal #biennale #curitibacool #oquefazeremcuritiba #arte #worldart #arte #artistas #curadores #artecontemporanea
Bienal de Curitiba 2017 • Memorial de Curitiba • Curadoria: Massimo Scarangiella •
•
•
• “Negotiation table”, 2017. impressão em cerâmica. Dimensões variáveis. • Hannu Palosuo
•
•
• [PT]
Metáforas e memórias
Hannu Palosuo usa diferentes planos para construir seus próprios trabalhos, constrói ambientes com sistemas oníricos, uma espécie de janela para o mundo da metáfora e da memória, como em uma cenografia teatral. Para isso, faz uso de diferentes temas, jogando com imagens, na tentativa de desenvolver todas as variantes possíveis de expressão, mas jamais uma será definitiva.
•
•
• [ENG]
Metaphor and memory
Hannu Palosuo flickers between different layers to create his works, builds the stages oneirically, almost an open window over the World of metaphors and memories, as in those theater scenes burdened by tragedy or metaphysics. Hence, approaches different themes playing with his imagery, as if developing every single possible aesthetic variation, for none can be final.
Bienal de Curitiba 2017 • Museu Oscar Niemeyer • Curadoria: Fang Zhenning e Liu Chunfeng • •
•
• “Window”, 2013-2015. Janela, seda e casulos. 100 x 92 x 3 cm. • Liang Shaoji •
•
[PT] 
Essa sua séria vê o processo de vida dos bichos-da-seda como meio de criação, a interação no mundo natural como sua linguagem artística, o tempo e a vida como a ideia essencial. As obras do artista são realizadas com um senso de meditação, filosofia e poesia, enquanto ilustram a beleza inerente da seda.
O objetivo principal é evitar a influência dos sentimentos humanos sobre forma ou cor e as restrições das ferramentas tradicionais de pintura. O padrão de formas quadrada e redonda são símbolos de expressão do mundo e do espaço na China. Isso se compara ao pensamento e comportamento chinês. Isso é uma expressão visual recorrente em obras chinesas que reflete a visão de mundo e o espaço psicológico do povo chinês. •
•
• [ENG]
This Nature series sees the life process of silkworms as creation medium, the interaction in natural world as his artistic language, time and life as the essential idea. His works are fulfiled with a sense of meditation, philosophy and poetry while illustrating the inherent beauty of silk.
The main purpose is to avoid the influence of human feelings on shape or color and the constraints of traditional painting tools. The pattern of square and round shapes are symbols of expression of the world and of space in China. This compares to Chinese thinking and behavior. This is a recurring visual expression in Chinese works that reflects the world view and the psychological space of the Chinese people.
Todo mundo tem aquela amiga ou amigo entusiasta das artes, que te puxa para os museus e sabe tudo que está rolando, não é mesmo? Qual é a sua ou o seu que te levou na Bienal? 😊Marque ela/ele nos comentários!
•
•
•
#bienal #bienaldecuritiba #museu #arte #visitaguiada #guia #mon #exposicao #curitiba #amigos #friends #art #artguide #peoplewatchingart
Bienal de Curitiba 2017 • Museu Oscar Niemeyer • Curadoria: Marta Mestre
•
•
• “Hand Catching Lead”, 1968. 16mm, fime em p&b transferido para DvD. 3’30’’ • Richard Serra
•
•
• [PT] "Eu acho que o significado do trabalho está no seu esforço, não nas suas intenções. e esse esforço é um estado de espírito, uma atividade, uma interação com o mundo... O foco da arte para mim é a experiência de viver as peças, e essa experiência pode ter muito pouco a ver com os fatos físicos."
•
•
• [ENG] "I think the significance of the work is in its effort, not in its intentions. And that effort is a state of mind, an activity, an interaction with the world... The focus of art for me is the experience of living through the pieces, and that experience may have very little to do with the physical facts."
Bienal de Curitiba 2017 • Memorial de Curitiba • Curadoria: Royce W. Smith e Dannys Montes de Oca • .
•
• “Bloom II”, 2012-2015. Réguas de madeira. Dimensões variáveis - Pedro Tyler. •
•
•
[PT] 
Esculpindo aforismos e outros ditados e vernáculos familiares em réguas e outros dispositivos de medição, Pedro Tyler cria interação de luz e sombra que refletem as tensões entre o possível e o impossível, o racional e o absurdo. seus trabalhos referenciam a futilidade dos imperativos de Galileu para medir (e tornar mensuráveis) todas as coisas - expondo à respeito do conhecimento ao desconhecido. •
•
•
•
[ENG] 
Carving aphorisms and other familiar sayings and vernaculars into rulers and other measuring devices, Pedro Tyler creates interplays of light and shadow that mirror the tensions between the possible and the impossible, the rational and the absurd. His works reference the futility of Galileo’s imperatives to measure (and render measurable) all things—exposing knowledge’s deference to the unknown.