Blog Menina da Bahia

Blog Menina da Bahia Follow

#Resenha #dicas e #novidades sobre #filmes #livros #musica e mais alguns vícios.
Contato e parcerias: @maraalmeida_02 meninadabahiaoblog@gmail.com

https://linktr.ee/meninadabahiaoblog

2,222 Followers  778 Follow

Share Share Share

(Mara) Oi gente! Como prometido nos stories, hoje trago o primeiro vídeo do especial sobre doramas! E nesse episódio explico o que são os doramas, como os descobri e porque me viciei. Espero que gostem! Se você não sabe o que é doramas vem conhecer e se você já é dorameira como eu, conta aqui como foi seu começo também! Bjs
(Gabriela) #resenhasdomenina Um cavalheiro a bordo | @juliaquinnauthor | @editoraarqueiro | 288 p. | 5 🌟 A resenha de hoje é sobre um livro que fez o meu coração saltitar ahahaha e que me deixou presa à história do início ao fim. É o terceiro volume da série #OsRokesbys e nos traz uma agradável surpresa: mais uma Bridgerton em cena!

Arriscaria dizer que Poppy Bridgerton é sagitariana (ou tem algum astro localizado no signo) ou, talvez, o fato de ter apenas irmãos homens tenha influenciado na personalidade aventureira, livre e destemida da nossa amada personagem. Ao visitar a melhor amiga, que está grávida, no litoral, Poppy aproveita para desbravar e conhecer o território. E é numa dessas andanças, ao adentrar em uma caverna muito afastada do centro da cidade, que Poppy entra numa enrascada... Andrew Rokesbys... Encantador e dono de uma personalidade forte e altruísta, o capitão de Sua Alteza Real comanda um navio contrabandista, que realiza atividades secretas para o Governo. E é devido ao sigilo de seu trabalho que Andrew se vê obrigado a levar à sua viagem a Portugal uma jovem dama que entrou numa enrascada ao estar onde não deveria... A viagem até os mares lusitanos provoca um misto de sentimentos entre Poppy e Andrew e se torna mais divertida a cada capítulo, ou, melhor dizendo, a cada dia de viagem. As revelações começam a clarear a visão sobre a qual um tem sobre o outro. Poppy percebe desde o princípio que Andrew não é um simples marinheiro, mas um aristocrata, e o capitão se desespera ao ouvir o sobrenome daquela jovem que está sequestrada em sua cabine: a sua família mantém uma amizade de anos com o clã Bridgerton, tios de Poppy. Será que o capitão conseguirá protegê-la e trazê- la sã e salva de volta a Inglaterra?

A leitura de Um cavalheiro a bordo é fluida, com picos de acontecimentos que estimulam o leitor a devorar as páginas. As cenas consistentes e sem enrolação, diálogos inteligentes e divertidos, a descrição precisa dos cenários foram, para mim, pontos fundamentais na boa interação com a obra da Julia. O encanto entre e pelo casal não é imediato e esse time é fundamental para curtirmos o sentimento florescer entre eles. CONTINUA...
(Lailie) #resenhasdomenina Reino em pedaços | @clubeessencia | @author.erinwatt | 2019 | Este é o quinto da série Os Royals. É a conclusão da história do Easton Royal e da Hartley Wright que começamos a acompanhar em Herdeiro Caído. .

Atenção, a partir deste momento conterá spoilers do livro anterior. Herdeiro Caído termina com o acidente que envolve Hartley e os gêmeos Sawyer e Sebastian. Logo no primeiro capítulo acompanhamos o desenrolar desta trama, onde todos estão no hospital  com muita confusão e gritaria do jeito que os Royals gostam. .

Hart acaba desmaiando na sala de espera do hospital e quando acorda, os últimos três anos são apagados da sua vida. Ela não se lembra que não fala mais com os pais, que estuda na Aston Park, e principalmente, ela não se lembra quem é Easton e a importância que ele tem na vida dela. .

Para ele, o que mais o assustou nessa situação do acidente, foi Hart não saber quem ele era. E como Sawyer não queria sair de nenhum jeito do lado do irmão, no hospital, ficou mais difícil dele tentar reparar esse dano na mente de Hartley. O que dificultou ainda mais no processo foram: o pai dela que era super hostil com qualquer tentativa de aproximação dos Royals e a Felicity que se aproveitou da situação para se vingar e espalhar boatos sobre Hartley no colégio. .

Por que as pessoas a odiava tanto? era uma pergunta que constantemente ela se fazia ao andar pela Aston Park, o que de tão ruim ela fez para merecer tamanha hostilidade? E quem era Easton Royal e por quê ele insistia tanto que eles tinham algo? .

Conhecendo Easton, ele aguentou firme tudo o que estava acontecendo. Ele não desistia fácil das coisas e muito menos das pessoas por quem ele achava que valia a pena. Hartley Wright valia a pena e ele iria conseguir provar que não era essa pessoa a qual haviam (Felicity) espalhado boatos para ela. Ver essa outra faceta do Easton foi uma das melhores surpresas deste livro, apesar de alguns pontos negativos como o enredo um pouco arrastado em algumas ocasiões. Mas já quero os próximos livros com os outros irmãos, sou muito fã dessa família como vocês bem sabem!!!
(Lailie) #recebidosdomenina Os Correios passaram por aqui nos últimos dias e então resolvi mostrar o que trouxeram: - 📕Garota, pare de mentir pra você mesma. Best-seller da Rachel Hollis que chegou aqui no mês passado, mas ainda não tinha mostrado pra vocês. - 📘Não me julgue pela capa- inseguranças de um ansioso, o livro novo do @matheusrocha , lançamento do mês da @planetadelivrosbrasil - 📒Por último, mas não menos importante: lançamento do mês da @astral.cultural , Um jogo de amor e sorte, novo livro da Beth Reekles, autora de A barraca do beijo e A casa de praia, que vem para a Bienal do Rio!!! -

Estou empolgada, porque são três leituras que despertou muito o meu interesse e como vocês já sabem: em breve terá resenhas, tanto aqui quanto no blog!!!
(Monique) #resenhasdoMenina | #Umestranhoirresistivel #OsRavenels | Lisa Kleypas | @editoraarqueiro| 2019 | 4,5🌟 -

Um Estranho Irresistível é mais um capítulo da série da família Ravenel, que tem nos proporcionado ótimos momentos de leitura. Dessa vez, iremos conhecer a história de Garrett Gibson e Ethan Ransom, ambos já apareceram nos livros anteriores. Principalmente, Garrett que teve um papel secundário importante na história dos outros protagonistas da família Ravenel. -

Garrett nunca pensou que um dia iria cogitar a ideia de um relacionamento, porque sabe que seria difícil para um homem aceitá-la do jeito que é, independente e pouco submissa. Ela está conformada em não casar e é feliz em apenas ser realizada na sua profissão. No entanto, ela acaba conhecendo Ethan que se torna uma constante em sua vida, e tudo com ele é diferente, ele a aceita, respeita suas decisões, a trata como parceira. Eles se encaixam e dão certo, amar um ao outro não estava nos planos, mas acaba acontecendo e eles terão que lidar com seus sentimentos e com o perigo iminente do trabalho de Ethan. -

Ethan Ransom foi encantador. Se Garret era a dona desse livro com sua personalidade marcante, Ethan foi a estrela. Ele abrilhantou essa história de tal forma que foi impossível não se apaixonar por ele. Era tão bonito a forma como ele admirava e respeitava Garret, como era protetor sem sufocar. -

Eu realmente amei esses personagens tanto individualmente como um casal, eles combinavam e davam certo. Eles tinham um equilíbrio que achei muito legal acompanhar, a relação deles foi bem construída, desde o momento que eles se conheceram e passaram a confiar um no outro, a amizade e parceria, o desejo e o amor. .
.
.
#lisakleypas #romance #livro #literaturaestrangeira #love #literatura #romancedeepoca #romancesdeepoca #romancesdeepocaarqueiro #ler #amoler #resenhas #resenha #resenhaliteraria #meninadabahiaoblog #salvador #Bahia #friendsbooklove #euleioarqueiro
(Lailie) #resenhasdomenina Já disse que te amo? | Estelle Maskame | @editoraarqueiro | 2019 | 336p. 
Já disse que te amo? é um típico romance Young Adult clichê, mocinho bad boy, popular, que namora a menina popular, que caga regra etc. A mocinha ingênua que está descobrindo as coisas agora, se apaixona por ele e o resto vocês já sabem. 
O que me incomodou não foi o romance ser clichezão. Mas ter temáticas problemáticas sendo romantizadas. Estamos em 2019, esse tipo de coisa não é mais aceitável. Ainda mais quando o público-alvo é adolescente e pode achar que aquele comportamento é normal. Jovens bebendo e se drogando, desrespeitando pais... -

Eden tem dezesseis anos, sai de Portland para passar o verão com o pai que mora em Los Angeles, após três anos que não o vê, desde a separação dos pais. Tudo o que ela sabe sobre a nova vida dele é que está casado e que tem três enteados. -

O grande problema dela, é a ingenuidade e a permissividade. Eden é uma pessoa que não sabe dizer não, para nada e nem ninguém. E por mais que aquilo seja errado, ela prefere aceitar à aborrecer a pessoa. Esse comportamento dela foi assim com todos ao seu redor. -

E então, ela se apaixona por Tyler o mais velho dos seus irmãos postiços do nada. Não vi motivo em especial que fez ela despertar esse interesse romântico no Tyler, sendo que o mesmo em todas as oportunidades foi um babaca de marca maior com ela. Não só com ela, mas com a mãe, o padrasto, com a namorada e com os amigos. -

Entendemos que ele tenha tido problemas por causa do pai que está preso, mas nada justifica o fato dele agir com total desrespeito com a própria mãe. No fim do livro a gente descobre várias coisas a respeito disso, mas como eu disse, não justifica o comportamento desrespeitoso. -

Tanto que por diversas situações, ele colocou Eden em maus bocados e ela aceitava mentir para acobertar seus erros. -

O que me incomodou de verdade nisso tudo, foi ver o quanto ela percebia que tudo o que estava fazendo era errado, que gostar de Tyler era errado, que a forma como ele a tratava era muito errado e simplesmente fazer a Katia Cega porque... [CONTINUA NOS COMENTÁRIOS]
(Lailie) #resenhasdomenina Depois que você me deixou | Samantha Young | @astral.cultural | 2019 | 336p. -

Charley e a amiga, Claudia, se mudam para a Escócia para cursar a pré-lei numa universidade. Essa era uma vontade antiga de Charley já que sua irmã também tinha ido estudar na Europa alguns anos antes. -

Chegando lá, elas conhecem Beck que as convidam para uma festa, pois Claudia se vê bem interessada no estilo bad boy dele, motivo pelo qual Charlotte não se interessou pois a sua experiência com o tipo não tinha sido das melhores. -

O que elas não poderiam imaginar é que Beck, é amigo de Jake, ex de Charley. Mas anos já se passaram ela tinha superado, Jake também, afinal estava namorando Melissa. -

O que deixava Charley incomodada com aquela situação toda, é que todo mundo ficava olhando pra eles como se fossem cometer um crime por ocupar o mesmo ambiente. Jake fazia isso a todo tempo e forçava uma aproximação e intimidade que eles não tinham mais, infelizmente. E saber que ele a conhecia tão bem, era irritante. -

O livro tem dois pontos de narrativa, a Charley de 2008 quando conheceu Jake e a Charlie de 2012, quatro anos depois. O bom de acompanhar essas duas fases dela, é poder ver o quanto ela mudou e como a relação com Jake teve esse efeito. -

O retorno de Jake quatro anos depois, a fez reviver momentos que já estavam enterrados no seu passado. Claudia como uma ótima melhor amiga, sabia de tudo e tentava fazer com que Charley não se afetasse tanto com a constante presença de Jake. -

O que eu mais gostei na história é o quanto eles são maduros, o que aconteceu no passado foi ruim? Foi! mas já que eles vão ter que conviver por conta dos amigos, que tal ser de uma maneira pacífica e como os amigos que eles sempre foram, apesar de todo o relacionamento amoroso envolvido? -

Essa foi uma história que mexeu muito comigo quando eu a li em 2014 e reler depois de cinco anos, foi ótimo para eu ver o quanto eu mudei e amadureci. O livro termina de uma forma que deixa a gente bem ansioso para o próximo e isso não mudou, o sentimento ao concluir a leitura foi a mesma. Astral, já quero na minha mesa, ok?!
Hoje é o dia de felicitar aqueles que nos fazem tão bem com seus livros e suas histórias. Pessoas comuns assim como eu e você, que ousaram, se dedicaram, que tiveram coragem e perseguiram seus sonhos tornando-os realidade através de um livro. Passando a ser nossos ídolos e nossa inspiração. Cada escritor que já li nessa vida deixou um pouco de si em mim, não importa se gostei pouco da história, se não me identifiquei ou se amei a ponto de reler mais de uma vez a sua obra. Eu tenho vários queridos (marcados aqui na postagem), não consigo eleger apenas um preferido.Júlia Quinn com certeza é um deles. E para homenagear a todos, selecionei algumas fotos dos seus livros, onde JQ tem uma característica muito legal de sempre conversar com o leitor antes de iniciar a história.

E  você tem um escritor favorito ou que gosta muito?! Me conta aqui e se junte ao Menina da Bahia e felicite os escritores, nossos reais sonhadores! 
@nanapauvolih
 @paolascott2015
 @msfayes
@jay.crownover
@vi_keeland @penelopewardauthor @colleenhoover
@sophiekinsellawriter @emilygiffinauthor @norarobertsauthor @christinalauren 
@lisakleypas 
@sarahmaclean 
@nicholassparks 
#diadoescritor #escritor
#livro #livros #amoler #literatura #leitura #leiturasdaMara #meninadabahiaoblog #book #friendsbooklove cc#igliterario #romancesdeepoca #romancedeepoca #juliaquinn #editoraarqueiro
(Monique) #resenhasdomenina Egomaníaco | @vi_keeland | @editoracharme | 320 p. -

Egomaníaco vai nos contar a história de Drew, um advogado bem sucedido de divórcios; e Emerie, uma psicóloga com especialidade em terapia de casais. Deu pra perceber a ironia do destino, não é? -

A história começa com Drew voltando de férias enquanto o seu escritório estava em reforma. E ao chegar ele dá de cara com uma linda ruiva arrumando as coisas dentro do escritório, que segundo ela, o espaço é dela e o intruso ali é ele. Acontece que Emerie caiu num golpe ao alugar o espaço de escritório que na verdade pertence ao Drew. -

Drew e Emerie são personagens ótimos e adoráveis, muito bem desenvolvidos. Eu realmente gostei deles e de como cada um era cativante a sua maneira, e eles eram perfeitos juntos, acompanhar o desenvolvimento do relacionamento deles e de como eles amadureceram ao longo da história foi muito legal e prazeroso. Gostei de como Emerie era doce e atrevida ao mesmo tempo e Drew sarcástico, amargo em alguns momentos e tão amável em outros. Ele me encantou desde o início, e Emerie não é uma mocinha chata, gostei muito dela. -

Egomaníaco é mais um livro ótimo da Vi Keeland que tem nos presenteado cada vez mais com histórias que aquecem o coração, ela acertou mais uma vez. Foi uma leitura prazerosa que me fez rir, com drama na medida certa, um plano de fundo convincente, personagens com química e com uma conexão sexy e apaixonada. É o tipo de livro pra ler numa tarde de tão fluida que é a história.
(Lailie) #resenhasdoMenina | #Tudoaquiloqueeunãodisse | Kathryn Hughes | @astral.cultural | 2018| 
Uma história tão boa que já adianto: terminei muito antes do que pretendia. -

Tina Craig vive um relacionamento abusivo e extremamente tóxico com o marido, Rick, que além de alcoólatra é viciado em jogos. Usa de todo o dinheiro que ela ganha no trabalho para fazer apostas. -

Em um desses dias, ele pede para que ela faça uma aposta alta, não imaginando que o dinheiro da aposta era o que ela vinha guardando para que pudesse alugar um lugar só pra ela e fugir desse casamento. -

Tudo ia mal no casamento, até que um dia após um dia cansativo de trabalho voluntário no brechó, ela se depara com uma carta que nunca foi enviada ao seu destinatário: Chrissie Skinner em Setembro de 1939. -

Chrissie é uma jovem bonita, inteligente, filha do médico e da parteira da cidade. Ela trabalhava com eles e raramente tinha vida social. Até conhecer Billy e se apaixonarem. O que assombrava era o fato de jovens serem recrutados para servir ao exército do país na Segunda Guerra Mundial -1939. -

Billy e Chrissie viviam um romance bonito, promissor, mas que o pai dela não aprovava e tentou de tudo para que eles se separassem. Por conta de um mal entendido, Chrissie não conseguiu mais falar com Billy e a única solução que ele encontrou foi enviar-lhe uma carta, a qual ela nunca recebeu. E como estava grávida, seu pai achou por muito bem mandar ela para a fazenda de uma tia que ficava no interior da Irlanda. -

Tina ficou bastante comovida com o que leu na carta e estava obstinada a encontrar Chrissie ou alguém da sua família para que pudesse entregar a carta de Billy. Mesmo quarenta anos depois, ela precisava saber que não havia sido abandonada. -

Como sua vida dá um giro de 360º, de forma totalmente inesperada e triste. Tina, se vê na busca por alguma informação que leve à Chrissie e então, ela encontra William, o filho do casal. -

Juntos eles vivem uma aventura em busca da mãe de William e para Tina é uma forma de recomeçar uma vida, após um casamento tórrido. Era jovem, tinha muito o que aproveitar e nisso William a ajudava e muito em reviver sua jovialidade. {...}
(Gabi) #resenhasdomenina |#Adamamaisdesejada | @editoraarqueiro | Julia Quinn, Eloisa James e Connie Brockway |272 páginas 
Eu me tornei uma fã declarada de romances de época através da Julia Quinn — não resisto quando vejo um novo livro dela — e conhecer novas autoras desse gênero tem sido muito interessante, por isso A dama mais desejada foi uma leitura diferente e muito boa! Diferente pelo fato de envolverem três autoras: Julia Quinn, que já li bastante, Eloisa James, que li alguns livros e Connie Brockway, autora que eu não conhecia. 
O livro é divido em três partes, mas só fui perceber tal divisão conforme os capítulos foram se encerrando e a história de um novo casal entrava em cena. A divisão feita dessa forma contribuiu para a fluidez e o bom andamento do enredo, mas me deixou um pouco incomodada: senti que as histórias não foram exploradas o suficiente. E a mudança de autora fica evidente: é impossível não reconhecer a narração da Julia, ou a cenas marcantes de Eloisa... A nova duologia da Arqueiro nos traz personagens com características e personalidades únicas. Hugh Dunne, o conde de Briarly, vive nos estábulos, cuidando e treinando seus cavalos, mas depois de passar por uma experiência quase fatal, decide se casar. Acontece que não será tão simples assim... Afastado das movimentadas temporadas londrinas, o conde pede que sua irmã faça uma lista de jovens com potencial de se tornarem sua condessa. 
Carolyn Finchley, que adora uma festa e é uma casamenteira nata, resolve fazer uma reunião na casa de campo dos Finchleys e entre os convidados estão: a bela Gwendolyn Passmore, Lady Georgina Sorrel, a adorável Katheryne Peyton, capitão Neill Oakes e Alec Darlington, conde de Charters. 
Será que o conde de Briarly irá conseguir uma das damas da lista de sua irmã ou algum outro cavalheiro será mais rápido que Hugh...? Achei muito fofa a forma como cada casal se formou, desprentensiosamento, cultivando o amor que ali existia. Estou muuuito ansiosa pelo próximo volume da duologia e curiosa pelas próximas histórias!
(Gabi) #resenhasdomenina |#Ummaridodefazdeconta | @editoraarqueiro |@juliaquinnauthor |308 páginas -

O livro dá sequência à série Os Rokesbys, vindo após Uma dama fora dos padrões (livro que amei!!). -

Edward Rokesby está nas colônias, lutando por sua pátria. E isso é tudo o que sua família sabe. -

Cecilia Harcout, após perder o pai e saber que o irmão fora gravemente ferido enquanto lutava nas colônias inglesas, cruza o Atlântico em busca de respostas sobre o irmão e, ao mesmo tempo, fugindo de um destino fadado à solidão. -

Ao desembarcar na colônia inglesa, que viria ser parte dos EUA que conhecemos hoje, Cecilia está perdida. Há homens uniformizados, feridos e destruição por todos os lados. Há guerra. Poucas informações e pouca solidariedade com uma jovem dama naquele local. Ao partir em busca do seu irmão, Thomas, Cecilia encontra outra pessoa: o capitão Edward Rokesby, ferido e em coma. Em desespero, informa ser esposa do capitão e consegue se estabelecer durante o dia na ala médica improvisada. Se revezando entre cuidar de Edward e cobrar por respostas sobre Thomas, Cecilia sustenta a mentira do casamento até mesmo após o capitão sair do coma, dias depois. -

O amor que surgiu de Cecilia por Edward não era algo novo. O afeto pelo capitão, melhor amigo de Thomas, já estava presente nas inúmeras cartas que trocaram, direta ou indiretamente. Mas ao acordar, Edward não poderia ter se surpreendido mais ao ver quem estava ao lado dele. -

Confesso que, para mim, o único impecilho para curtir totalmente Um marido de faz de conta foi a sustentação da mentira de Cecilia. A angústia por saber quando a verdade seria revelada me deixou um pouco aflita hahaha Talvez ela tenha sido uma das únicas mocinhas que não simpatizei 100%. -

A grande diferença de Um marido de faz de conta se dá, sobretudo, no cenário: ao invés da nossa conhecida e queridinha Inglaterra do século XVIII, a história de Edward e Cecilia é ambientada nos Estados Unidos, durante a Guerra de Independência. Desse modo, o foco do livro se deu quase exclusivamente nos personagens principais, visto que os mais próximos a eles estavam a um oceano de distância. 
Continua...